Categoria: Blog

4 de janeiro de 2019

 

  1. O que são técnicas de reprodução humana?

As técnicas de reprodução humana incluem: a relação sexual programada (coito programado), a inseminação intra-uterina e a Fertilização In Vitro. Este tratamentos estão dispostos em graus de complexidade e indicados para diferentes problemas do casal. Para saber mais: https://dragabriellamacielcollier.com.br/tratamentos/  

  1. Quais são os riscos de cada uma delas?

O principal risco relacionado a todas as técnicas de reprodução humana é a gestação múltipla. Como todos estes tratamentos envolvem a indução da ovulação, aumenta-se a chance de múltiplos óvulos e, consequentemente, múltiplos embriões. Assim, o médico deve ter cautela quando realizá-los. Outro problema importante é a Síndrome de Hiperestimulação Ovariana, quando há uma resposta exagerada às medicações usadas na indução da ovulação. O acompanhamento de um bom profissional diminui consideravelmente estes riscos.  

  1. A geração de bebês múltiplos ainda é um fator comum para este tipo de gestação?

Sim. Os tratamentos de reprodução humana aumentam a chance de gestações múltiplas (gemelares, trigemelares, etc.), por induzirem a produção de um número maior de óvulos e embriões. No entanto, muito se tem feito para amenizar este risco. Além disso,

Postado em Blog por rafael
18 de junho de 2017
Tudo Sobre Anovulação com a Especialista Dra. Gabriella Maciel Collier - Ginecologista em Recife

Um ciclo anovulatório é aquele em que não há a liberação do óvulo pelo ovário, ou seja, não ocorre ovulação. A anovulação é muito comum e afeta de 6 a 15% das mulheres. As causas da anovulação podem ser por problemas funcionais como problemas nos ovários, excesso de peso, anorexia, exercícios físicos muito intensos, entre outros. Porém são os desequilíbrios hormonais ou químicos responsável por 70% das causas dessa patologia. Os sinais e sintomas mais comuns da anovulação são: 1. Falta de menstruação (amenorreia) que ocorre em 20% das mulheres 2. Menstruação irregular, ocorre em 40% das mulheres 3. Aumento de pelos no rosto e corpo 4. Acne A anovulação é tratada com sucesso em, aproximadamente, 90% dos casos. O primeiro passo consiste em mudar o estilo de vida, incluindo uma rotina de exercícios físicos e dieta saudável. Nos casos de infertilidade, em que mesmo após as mudanças nos hábitos de vida não resultam em ciclos ovulatórios, o tratamento pode ser realizado com medicamentos para indução da ovulação (citrato de clomifeno ou gonadotrofinas). Sobre o ponto de vista reprodutivo, a anovulação crônica geralmente tem um bom prognóstico para a gravidez.  

Postado em Blog por alffaweb
18 de junho de 2017
Tudo Sobre Endometriose com a Especialista Dra. Gabriella Maciel Collier - Ginecologista em Recife

É uma doença caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve sejam elas trompas, ovários, intestinos e bexiga. Todos os meses, o endométrio fica mais espesso visando a implatação do embrião e futura gravidez Quando não há gravidez, no final do ciclo o endométrio descama, ocorrendo a menstruação. Em alguns casos, um pouco desse sangue migra no sentido oposto e caindo na cavidade abdominal, causando a lesão endometriótica. As causas desse comportamento ainda são desconhecidas, mas sabe-se que há um risco maior de desenvolver endometriose se a mãe ou irmã sofrem com a doença. É importante destacar que a doença acomete mulheres a partir da primeira menstruação e pode se estender até a última. Geralmente, o diagnóstico acontece quando a paciente tem em torno dos 30 anos. A doença afeta hoje cerca de seis milhões de brasileiras. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose, entre 10% a 15% de mulheres em idade reprodutiva (13 a 45 anos) podem desenvolvê-la e, dentre as mulheres infertéis, cerca de 30% tem endometriose.

Postado em Blog por alffaweb
18 de junho de 2017

Com o desenvolvimento da medicina, as taxas de sobrevivência e a possibilidade de cura aumentaram bastante para certos tipos de tumores. Pensando nisso e visando o futuro, a preservação da fertilidade tanto para homens quanto mulheres é algo justificado, que deve ser avaliado e discutido com o médico antes do inicio da quimioterapia ou radioterapia, uma vez que esses podem causar danos permanentes na função ovariana e testicular. Os tratamentos disponíveis para essa finalidade são: 1. Criopreservação de embriões Uma das maneiras mais comuns e consolidadas para a preservação da fertilidade do casal. As taxas de sobrevivência do embrião após o descongelamento são elevadas, chegando a níveis superiores a 80%. 2. Criopreservação de óvulos Essa técnica é a mais indicada para mulheres solteiras, uma vez que a fertilização com espermatozoides não precisa ser realizada. 3. Criopreservação de tecido ovariano Indicado para pacientes que não tem tempo hábil para indução da ovulação e posterior congelamento de óvulos ou embriões, ou seja, para pacientes que precisam realizar o tratamento contra o câncer imediatamente. Também indicado para cri

Postado em Blog por alffaweb
18 de junho de 2017
PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE ZIKA VÍRUS

Qual a relação entre o Zika e a microcefalia? A confirmação da relação entre o vírus e a microcefalia é inédita na pesquisa científica mundial. A microcefalia é uma má-formação congênita na qual o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Normalmente, ela é causada por fatores como uso de drogas e radiação. Segundo o governo, na epidemia atual, os bebês nascem com perímetro cefálico menor que o normal, que habitualmente é superior a 33 cm.   O que ainda não sabemos sobre a ligação entre o Zika e a má-formação fetal? O Ministério da Saúde deixou claro, no entanto, que ainda há muitas questões a serem resolvidas. Uma delas é como ocorre exatamente a atuação do Zika no organismo humano e a infecção do feto. Também não se sabe ao certo qual o período de maior vulnerabilidade para a gestante. Em análise inicial do governo, o risco está associado aos primeiros três meses de gravidez.   O que é o Zika? É um arbovírus (do gênero flavivírus), ou seja, costuma ser transmitido por um artrópode, que pode ser um carrapato, mas normalmente é um tipo de mosquito. No caso do Zika, ele é transmitido por um mosquito do gênero Aedes, como o Aedes aegypti, que também causa a dengue. Além disso, ele também está re

Postado em Blog por alffaweb
18 de junho de 2017
Tudo Sobre Aborto de Repetição com a Especialista Dra. Gabriella Maciel Collier - Ginecologista em Recife

O aborto de repetição é detectado quando a mulher não consegue levar a gestação adiante, ocasionando perda prematura e espontânea de duas, três ou mais gravidezes consecutivas. Nos últimos anos, algumas pesquisas científicas desenvolvidas trouxeram explicações que justifiquem o problema, bem como tratamentos eficientes no combate ao aborto de repetição. Os fatores mais comuns para a causa da perda gestacional prematura são: alterações intra-uterinas, alterações cromossômicas, fatores imunológicos e até mesmo carência de vitaminas. Um tratamento alternativo que pode ser associado é a reposição de progesterona. “Não há nenhuma contra indicação, já que é um hormônio liberado pela própria placenta da paciente durante a gestação e que também ajuda na fixação da gravidez”. Também devem ser considerados os fatores imunológicos. A paciente pode ter problemas genéticos ou então fatores que foram surgindo ao longo da vida. “No caso do aborto de repetição, o organismo reage como se houvesse um corpo estranho e trabalha para expulsá-lo, combatendo a gestação e não permitindo que o embrião tenha a fixação inicial necessária ao organismo materno. Hoje em dia, através de exames laboratoriais, é possível detectar a medicação indicada para encapsular esses anticorpos produzidos pelo organismo de modo que eles não consigam agir de forma contrária ao desenvolvimento do embrião. Alerta para a dife

Postado em Blog por alffaweb
18 de junho de 2017

A Síndrome de Down é uma das alterações cromossômicas mais comuns nos seres humanos. Ela representa cerca de 0,15% entre os nascidos vivos e é a mais comum em filhos nascidos de mulheres mais velhas. Essa síndrome ocorre de um acidente genético que gera um cromossomo extra no par 21, daí o nome Trissomia do 21. Em 95% dos casos, essa alteração ocorre no momento da concepção. Crianças e jovens portadores da síndrome têm características físicas semelhantes, elas têm olhos amendoados, devido às pregas nas pálpebras e em geral são menores em tamanho. As mãos apresentam uma única prega na palma, em vez de duas. Os membros são mais curtos, o tônus muscular é mais fraco e a língua é protrusa, maior do que o normal.. Embora apresentem deficiências intelectuais e de aprendizado, são pessoas com personalidade única, que estabelecem boa comunicação e também são sensíveis e amorosos. Atualmente, o adiamento da gravidez é aumentando bastante e muitos são os fatores envolvidos em tal decisão: estabilidade financeira e profissional, dificuldade em ter um relacionamento estável e ainda, incerteza sobre o desejo de ter filhos. Aproximadamente, 20% das mulheres aguardam até os 35 anos para construir uma nova f

Postado em Blog por alffaweb
18 de junho de 2017
Tudo Sobre Doação Compartilhada com a Especialista Dra. Gabriella Maciel Collier - Ginecologista em Recife

Doação compartilhada de óvulos: o que é e como funciona? Óvulos são células raras por isso não existe no Brasil um banco de óvulos assim como existe o de sêmen. Como a compra de óvulos é ilegal, o Conselho Federal de Medicina (CFM) regularizou um maio de 2013 A doação compartilhada de óvulos, onde a mulher que doa os óvulos é beneficiada financeiramente com parte do tratamento pago pela receptora. Como funciona esse procedimento? Mulheres, com no máximo 35 anos de idade, em tratamento para Fertilização in vitro podem doar alguns de seus óvulos excedentes para uma outra mulher que, por algum motivo (idade, menopausa precoce, cirurgia, quimioterapia entre outros) perderam a função de seus ovários e com isso não produzem mais óvulos. Lembrando que a doação compartilhada é indicada apenas para pacientes que procuram a clínica de reprodução humana com indicação de tratamento para infertilidade, porém não têm condições financeiras de arcar com todo o tratamento. A parte que será paga pela receptora, normalmente, será a das medicações para a estimulação ovariana. Importante: * A doação é anônima, ou seja, as doadoras não devem conhecer a identidade das receptoras e vice-versa. * A doação

Postado em Blog por alffaweb
18 de junho de 2017
Tudo Sobre Gravidez com a Especialista Dra. Gabriella Maciel Collier - Ginecologista em Recife

A gravidez espontânea, através de relações sexuais, é mais frequente nos primeiros três ou quatro meses de tentativas, isso normalmente ocorre em 6 entre cada 10 casais. A definição de infertilidade é a ausência de gravidez após um ano de tentativa com relações sexuais bem distribuídas ao longo do ciclo menstrual, sem o uso de qualquer método contraceptivo. Em pacientes acima de 35 anos, esse tempo diminui para seis meses, uma vez que a taxa de fertilização começa a cair a partir dessa idade. Portanto, se você tem mais de 35 anos, o ideal é procurar um especialista em Reprodução Humana após 6 meses de tentativas sem sucesso. Se você desconfiar que tem um problema de fertilidade ou tem motivos para achar que seu parceiro é quem tem dificuldades de conceber, procure um especialista imediatamente. Não há motivo para esperar.

Postado em Blog por alffaweb
18 de junho de 2017

Depois de muito planejamento, chegou o momento que você tanto esperava: o de engravidar. Nem sempre, porém, a natureza obedece o relógio da futura mamãe e a gravidez começa a demorar para acontecer. Há casos em que é preciso muita dedicação, paciência, força de vontade e a necessidade de mudar alguns hábitos para ajudar neste processo. A seguir, veja algumas dicas para aumentar a fertilidade. “Muitas vezes, é preciso mudar a alimentação. Dentre os alimentos que favorecem a fertilidade feminina destacam-se os peixes, frutos do mar, carnes magras, legumes, pães e cereais enriquecidos para obter vitaminas do complexo B, ferro e zinco. As frutas frescas, os vegetais como fonte de vitamina C e de betacaroteno também devem entrar o cardápio”. E, segundo a médica, vale apostar em laticínios para obter cálcio e gérmen de trigo, sementes, ovos, aves e mariscos como fontes de vitamina E. Mas não adianta investir apenas na alimentação. É imprescindível checar se o seu organismo está em ordem, pois alguma disfunção na tireoide, por exemplo, pode comprometer as chances de engravidar. Portanto, se a paciente relata que sente algum incômodo ou apresenta mudanças bruscas de peso ou de humor é fundamental

Postado em Blog por alffaweb